Diversos

Todos sabemos que Madrid, Londres ou Paris são as cidades mais pobres, mais envelhecidas e com gente pouco educada.

E que os países da Europa mais pobres e menos educados são Espanha, Inglaterra, Itália, França, Holanda, Suíça e Suécia.

E que o estado americano com a população mais pobre, menos educada e mais envelhecida é o estado de Nova Iorque.

Só que não!!!

A ignorância, sendo defeito, pode não ser mais do que isso.

Mas quando junta mentira e desinformação, num contexto de saúde publica, capaz de pôr portugueses contra portugueses, é no mínimo grave. Demasiado grave.

Felizmente, e imediatamente a seguir à exibição da reportagem, um especialista e professor da Universidade Nova de Lisboa desmentiu os dados que se podem ler no título amarelo.

É a melhor bofetada.

Hugo Gilberto

A Polícia Judiciária e Rui Pinto chegaram nos últimos dias a acordo, contra todas as expectativas.

A TVI sabe que o hacker português aceitou colaborar com a Justiça, saindo da prisão preventiva, onde se encontra há precisamente um ano.

Rui Pinto passa a trabalhar lado a lado com os elementos da PJ, diariamente, no combate a fenómenos de criminalidade económico-financeira que as suas intrusões informáticas têm permitido desvendar em diferentes áreas da sociedade.

Este acordo de colaboração, validado pela juíza de instrução Cláudia Pina num despacho de três páginas, prevê atenuantes na medida da pena face à previsível futura condenação por vários crimes de acesso ilegítimos e, para já, o aligeirar das medidas de coação. Rui Pinto deixa a prisão e passa a viver na PJ, com segurança 24 horas por dia.

Enquanto isso, o pirata informático compromete-se a desencriptar os 10 discos externos que a PJ lhe apreendeu na Hungria, com terabytes de informação, mas que ainda não conseguiu abrir.

Suspeita-se de que, em emails e outra documentação, contenham verdadeiras bombas-relógio no que diz respeito a corrupção no futebol e teias de influências na política, no mundo dos negócios, da banca ou no setor da advocacia.

A Procuradoria-Geral da República e a Polícia Judiciária estão a investigar o Conselho de Arbitragem (CA) por suspeitas de corrupção e falsificação de documentos, adianta a RTP.

A denúncia foi apresentada pelo ex-árbitro Jorge Ferreira, despromovido da primeira categoria em 2016/17 , que falou à estação televisiva.

“Fui eu que apresentei [a denúncia], já fui ouvido. Em termos de ilegalidades, essencialmente estamos a falar de dois tipos de crime: corrupção e falsificação de documentos. As provas entregues à PJ”, começa por referir Jorge Ferreira, prosseguindo:

“Não falo de clubes, o que o CA quer é agradar aos árbitros e aos clubes, aos três grandes. Antes dos jogos diziam ‘tu estás bem, vais fazer um jogo, vai-te preparando, porque tens um jogo de uma equipa grande. Atenção, porque já estão a chatear muito’. Posso entender isso como pressão. Dependia da tabela classificativa. Continua a acontecer”, acrescentou o ex-árbitro.

Missas diziam respeito aos jogos e locais do mesmo. Padres eram os árbitros. O JOGO teve acesso ao testemunho do ex-observador, que explicou ainda a ligação a Paulo Gonçalves.

Adão Mendes, um antigo observador de FPF e Liga, que passou a ser conhecido no âmbito dos emails sobre o Benfica revelados no Porto Canal, confirmou em sede de inquérito pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal que os famosos padres a que se referia nas trocas de emails com Pedro Guerra eram mesmo árbitros e que as missas diziam respeito aos jogos e locais do mesmos.

O JOGO teve acesso ao auto de inquirição a Adão Mendes, como testemunha, no âmbito do processo que acusou Francisco J. Marques, Júlio Magalhães e Diogo Faria de sete, três e dois crimes relacionados com a violação de correspondências e este é o dado mais relevante, pois ninguém melhor do que o remetente da mensagem para confirmar que as palavras em código de referiam aos árbitros, situação que até então não havia sido confirmada, pelo menos de forma pública.

Fui fazer contas.

A imagem abaixo tem algumas notas que detalho aqui:

1) a distância entre as linhas das áreas é de 11 metros;

2) na imagem que retirei do vídeo (e à resolução com que estou a trabalhar) corresponde a 368 pixeis (1 pixel é a unidade mínima de uma imagem no computador);

3) o que permite calcular que 3 cm no terreno de jogo correspondem a um pouco mais de um pixel na imagem (1.0036 mais precisamente);

4) a linha rosa desenhada tem essa largura de 3 cm e é uma linha destas, de 1 pixel de largura, o que separa, dizem, o ponto mais adiantado de ambos os jogadores;

5) uma faixa azul ou branca do equipamento do FCP tem cerca de 9 cm;

6) as linhas de marcação do campo, cerca de 12 cm;

7) a imagem do equipamento do jogador do FCP alegadamente em fora-de-jogo está precisamente sobre a linha de grande área o que significa que o branco da camisola pode, eventualmente, ser indistinguível do branco da marcação da grande área e que apesar desta aparente incerteza terá sido de grande ajuda para estimação da posição relativa dos jogadores.

Não obstante tudo isto, não obstante estarmos a falar de uma largura de 1 pixel, a equipa que manejava o VAR não teve dúvidas.

Eu também não tenho nenhuma dúvida sobre as razões desta decisão.

Neste momento o Porto é um clube falido e com soberania limitada. Está na sua fase socrática. Contudo, deve haver gente a ganhar muito dinheiro com os negócios feitos com jogadores que chegam e partem.

De acordo com o Relatório e Contas enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o passivo aumentou 36,421 milhões de euros, atingindo a 31 de dezembro os 444,526 milhões de euros.

Segundo a SAD portista, o resultado líquido consolidado negativo de 51,854 milhões já era expectável e deve-se à brutal redução das receitas das provas europeias, devido à não qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões de 2019/2020.

No primeiro semestre da época passada, que os dragões fecharam com um resultado positivo de 7,158 milhões de euros, a “Champions” rendeu 60,822 milhões de euros, enquanto no presente exercício as receitas das provas da UEFA não foram além de 9,397 milhões de euros. Ou seja, registaram uma quebra de 85%.

No total, excluindo os proveitos gerados com passes de jogadores, a SAD gerou receitas de 55,458 milhões de euros nos primeiros seis meses da época, menos 54,750 milhões de euros que no período homólogo em 2018/19, quando os ganhos chegaram aos 107,208 milhões de euros.

O passivo cresceu mais 36,421 milhões de euros, atingindo agora os 44,526 milhões. Um aumento justificado com o valor global dos empréstimos e das verbas a pagar a fornecedores.

A claque Super Dragões emitiu este domingo um comunicado na sequência das declarações de João Gobern no programa “Trio d’Ataque”, da RTP3, onde falou de uma alegada espera ao videoárbitro do FC Porto-Rio Ave, Vasco Santos, após o empate (1-1) entre as duas equipas no sábado.

“Na sequência de afirmações proferidas em programas desportivos da noite de domingo que acusavam os Super Dragões de uma “espera” a Vasco Santos, VAR do FC Porto vs Rio Ave de ontem, a direção da claque informa que tais afirmações são completamente falsas e apenas se inserem na habitual realidade alternativa criada pela máquina de propaganda do Benfica”, pode ler-se na página de Facebook da claque azul e branca.

“Tanto as forças de autoridade como a própria APAF já negaram quaisquer acontecimentos, o que só ridiculariza ainda mais os promotores desta mentira”, acrescenta o comunicado, falando de uma “descarada manobra de coação”.

Entretanto, O JOGO procurou confirmar essa informação junto da GNR e PSP. Ambas as forças policiais negam a existência de qualquer queixa ou ocorrência.

COMUNICADONa sequência de afirmações proferidas em programas desportivos da noite de domingo que acusavam os Super…

Posted by Super Dragões on Sunday, March 8, 2020

Dragões ascenderam à liderança do campeonato e voltaram a visar a arbitragem do Benfica-Moreirense.

A vitória (2-0) sobre o Santa Clara, nos Açores, e o empate registado no Estádio da Luz entre Benfica e Moreirense (1-1) permitiram ao FC Porto ascender à liderança da tabela classificativa da I Liga, na segunda-feira.

Depois de um primeiro rol de críticas à arbitragem de Fábio Veríssimo na partida entre águias e cónegos, o emblema azul e branco voltou à carga na manhã desta terça-feira, através da newsletter “Dragões Diário”.

“[O jogo da Luz] Devia ter acabado mais cedo, sim, que os descontos pareceram intermináveis. E podia ter terminado com a derrota da equipa da casa, que beneficiou de dois penáltis para conseguir um ponto (cada um que tire conclusões). Mesmo assim, houve empate. E o FC Porto é líder”, assinalam os dragões.

Treinador do FC Porto dedicou triunfo sobre o Santa Clara (2-0) e deixou mensagem sobre “o que gravita em redor do futebol”.

Após o triunfo do FC Porto sobre o Santa Clara, por 2-0, Sérgio Conceição asseverou que “é difícil lidar com tudo o que gravita à volta do futebol”, falou em “pessoas mal-intencionadas” e dedicou os três pontos conquistados aos meninos do IPO e aos filhos.

“O treinador está sempre sujeito aos resultados. Hoje em dia é difícil lutar com tudo aquilo que gravita em torno do futebol. São as redes sociais, algumas pessoas mal-intencionadas, que tentam criar confusão… Aproveito para mandar um beijo muito grande aos meninos do IPO e aos meus filhos, a minha família sofre com isto, com tudo o que gravita à volta do futebol, é uma selvajaria, tenho vivido ao longo dos anos momentos difíceis, só tendo uma família com grandes princípios, como aqueles que os meus pais me transmitiram, é que conseguimos suportar, por vezes, algumas coisas”, atirou o treinador do FC Porto na zona de entrevistas rápidas.