Vídeos

Neste dia há 7 anos, Kelvin inscrevia o seu nome no livro dos momentos inesquecíveis da história do FC Porto ao apontar o golo que valeu o triunfo sobre o Benfica (2-1) e abriu caminho à conquista do Campeonato, que seria confirmada uma jornada depois.

O remate cruzado com o pé esquerdo, aos 92 minutos, originou uma enorme onda de alegria entre os portistas que está imortalizada na AT Espaço K, no Museu.

Já o admiraste?

Foi a 10 de abril de 2003, em pleno Estádio das Antas, que o FC Porto começava a carimbar o lugar na final da Taça UEFA, onde, sob a batuta de José Mourinho, viria a conquistar o troféu após bater os escoceses do Celtic Glasgow.

Há 17 anos, os dragões receberam e golearam, rechedada de nomes como Mihajlovic, Stankovic ou Fernando Couto, a Lazio por 4-1, na primeira mão das meias-finais.

Os laziale até começaram melhor e ganharam vantagem ao minuto 6 por intermédio de Claudio López, mas aos 28 minutos já os dragões estavam na frente, com golos de Deco (10’) e Derlei. Na segunda parte, o mesmo Derlei bisaria (50’) momentos antes de Hélder Postiga (56’) garantir confortável vantagem para o jogo em Roma. O jogo ficaria ainda marcado pela expulsão de José Mourinho do banco: em tempo de descontos, o treinador portista impediu o argentino Lucas Castroman de fazer um lançamento lateral e foi expulso pelo árbitro grego Kyros Vassaras.

Uma semana depois, no Olímpico de Roma, um empate sem golos serviu os intentos dos portistas.

O ex-médio estreou-se ao serviço do clube portista há 21 anos.

Há 21 anos atrás, Deco estreou-se com a camisola do FC Porto, num encontro contra o SC Braga, referente ao campeonato, jogo que os dragões venceram por 1-0, com um golo de Zahovic.

O médio, que foi lançado ao intervalo por Fernando Santos, explica, em declarações ao jornal ‘O Jogo’, as sensações de ter jogado pela primeira vez ao serviço do clube portista.

“Estava ansioso, o que era normal, porque era a minha estreia pelo FC Porto. Como qualquer estreia, é sempre tudo difícil, mas eu já estava a treinar com a equipa há duas ou três semanas. A estreia até foi boa e acabamos por vencer o jogo”, recorda Deco.

Faz esta sexta-feira, 3 de abril, nove anos que o FC Porto garantiu o título de campeão nacional no Estádio da Luz, sob o comando de André Villas Boas. O atual treinador do Marselha não deixou passar a recordação.

«Se há datas que não se esquecem esta é sem dúvida uma delas: faz hoje 9 anos que o FC Porto se sagrou campeão na Luz! Este jogo deu-nos o 25º título e pessoalmente a maior alegria da minha carreira! Um conjunto de jogadores de sonho e um staff técnico e médico unido por um só objectivo. Um presidente e uma estrutura singulares. “Este é o nosso destino”. Inesquecível», escreveu Villas Boas nas redes sociais.

Fernando e as recordações do título do FC Porto conquistado no Estádio da Luz [2010/11], com as luzes apagadas e o sistema de rega ligado, no programa “FC Porto em casa”.

Jogo no Estádio da Luz: “Todos os jogos foram marcantes, mas este, por termos conseguido um título na Luz, foi marcante. Nesse ano também conseguimos uma reviravolta na Taça de Portugal. Estamos muito felizes por ter feito parte dessa história linda que o FC Porto escreveu. Foram muitos jogos que tive, mas esse marcou-me muito. O estádio chamar-se Estádio da Luz e apagarem-te a luz é algo que te marca”.

Segredo dos roubos de bola: “Foi um trabalho contínuo e, principalmente, ter tido Jesualdo [Ferreira] como treinador. Foi uma pessoa que me ensinou bastante, porque eu vinha da escola brasileira, em que se trabalha muito a técnica, drible e assim, mas ele ensinou-me a posicionar-me dentro de campo e a estar perto do adversário, para poder roubar bolas. Eu, o Fucile ou o Falcao vão dizer a mesma coisa”.

HULK CESAR PEIXOTO
BENFICA VS PORTO
LIGA SAGRES
JORNADA 14
ESTADIO DA LUZ
LISBOA
FUTEBOL
EPOCA 2009 2001
20 12 2009
O JOGO
FOTO JORGE AMARAL
BENFICA VS PORTO

Há dez anos, o avançado brasileiro voltou a poder jogar nas provas nacionais depois de cumprir castigo de quatro meses.

Cumprem-se este sábado dez anos desde que Hulk voltou a poder jogar nas competições nacionais depois do castigo de quatro meses que lhe foi aplicado – e de seis meses a Sapunaru – na sequência dos incidentes do túnel da Luz, após um Benfica-FC Porto.

A 24 de março de 2010, três meses depois, o Conselho de Justiça da Federação reduziu a pena para três jogos, permitindo que voltasse na 24.ª jornada. E fê-lo em grande com um golaço na deslocação ao terreno do Belenenses. Nessa altura, o Incrível já tinha falhado 18 jogos das provas internas. Isto porque o castigo não abrangia as provas europeias e o brasileiro foi utilizado por Jesualdo Ferreira nos oitavos de final da Champions, frente ao Arsenal. “Estou convencido ainda hoje que se não fosse esse caso teríamos sido campeões”, disse um dia Jesualdo Ferreira a propósito desse castigo.

Ora, este sábado, o FC Porto recordou o caso através da newsletter “Dragões Diário”. “Faz hoje dez anos que terminou uma das maiores injustiças da história do desporto nacional. Neste dia, há uma década, Givanildo Vieira de Souza regressava aos relvados após cumprir uma suspensão que o fizera falhar 17(!) jogos. Após os incidentes no túnel da luz, em dezembro, a Comissão Disciplinar da Liga castigou Hulk e o brasileiro esteve mais de três meses impedido de jogar futebol. Entretanto, a suspensão ditada por Ricardo Costa viria a ser reduzida pelo Conselho de Justiça para quatro jogos… menos treze do que o craque já havia cumprido”, lembra o emblema azul e branco.

Bento Rodrigues abriu hoje o Primeiro Jornal da SIC com o caso Marega. O relógio marcava 13 horas, quando o jornalista surgiu na antena de Paço de Arcos com uma imagem do jogador como pano de fundo. A forma como o pivot começou o noticiário tornou-se viral.

Assim que entrou em cena, Bento Rodrigues não hesitou: “Começamos este jornal com o rosto do carácter, da coragem e da lucidez. A coragem de ser o primeiro futebolista em Portugal e um dos poucos no mundo a abandonar um jogo depois de ouvir insultos racistas. O carácter de desafiar os que o tentaram travar sem perceberem que já não era sobre um jogo de futebol, nem sobre o resultado, mas sobre o que nos define enquanto civilização. A lucidez de saber que este é o momento que define um homem, que esta atitude vai muito para lá de um estádio; que tem impacto nas ruas, nos bairros, nas vidas dos que sofrem insultos racistas todos os dias“.

Esta foi a forma como Bento Rodrigues abriu a notícia do dia, ele que já nos habituou a casos semelhantes ao longo da sua carreira na SIC. Logo depois deste momento, a Internet encheu-se de elogios à iniciativa de Bento Rodrigues em representação da SIC.

Bento Rodrigues, um verdadeiro senhor! 👏